Páginas

domingo, 21 de dezembro de 2014

Então é natal...

Em comemoração ao natal, o sindicato que representa as empresas de transporte coletivo por ônibus em São Paulo, promoveram uma carreata passando por pontos turísticos da capital paulista que possuem enfeites natalinos.

O início do passeio foi as 19h30 ao lado do Sambódromo ( Zona norte ) e percorreu ruas e avenidas das zonas norte, centro e oeste, incluindo no percurso as Avenidas Braz Leme, Paulista e Faria Lima, além do Parque do Ibirapuera.
Com um total de 10 veículos, 9 deles representavam uma empresa filiada ao sindicato, dentre elas: Sambaíba, Vip, Via Sul, Cidade Dutra, Gatusa e Transkuba. A Express também enviou seu veículo para o passeio, representando assim a área 4 da cidade.

Por onde passavam, os veículos eram alvos de câmeras e bastante movimentação em seu entorno. Com “ papais-noel “ em seu volante, a presença de crianças para tirar fotos era constante, ao qual provocava uma espécie de alvoroço quando os veículos estacionavam ou ficavam parados devido ao trânsito ou sinal fechado.

Devido ao trânsito na Avenida Paulista provocado por um número alto de pessoas fotografando e visitando as decorações, a viagem a qual era prevista para encerrar-se as 22h30, chegou ao fim no Terminal Pinheiros as 1h10 de segunda-feira, onde também houve muita movimentação por parte dos funcionários da empresa administradora do terminal para registrar aquele momento até então inédito.

O público participante, além dos populares externos, foi basicamente de familiares, funcionários e entusiastas.

Os veículos permanecerão decorados até Janeiro/15 e podem ser encontrados em linhas comuns, mas em horários e escalas especiais que visam buscar atender o maior número de itinerários e também, de levar o espírito natalino por essa cidade.


Rodrigo Lopes - Técnico em Logística


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Supersafra de superarticulados

Superarticulados tomam conta das ruas da maior capital do país e de sistemas BRT no território nacional. Montadora prevê crescimento de 10% na participação do mercado nacional de veículos para transporte de passageiros.

 Desde o lançamento da montadora alemã, com filial no Brasil, os superarticulados tem conquistado terreno nos grandes centros urbanos do país se mostrando uma alternativa econômica e relativamente viável para transportar um maior número de pessoas em uma só viagem.
 Em primeiro momento considera-se um aumento da oferta de lugares ( não necessariamente de demanda ), principalmente nas linhas em que não são padronizadas com esse tipo de veículo.
  Já nas padronizadas, como por exemplo a linha 4310/10 Terminal Parque Dom Pedro II – Estação de Transferência Itaquera ( transporte municipal de SP ), há uma mudança de utilização do veículo, considerando principalmente a densidade da demanda e não o aumento de oferta.
Em São Paulo, segundo dados da montadora, atualmente operam 342 superarticulados, sendo eles divididos entre 7 regiões da cidade, excetuando a Área 4.

Levando esses dados para o território nacional, a quantidade salta para 565 chassis do mesmo tipo, utilizado maciçamente para aplicações em corredores.

 Curioso notar é que desde que sua fabricação fora iniciada, empresas sem a “ tradição “ de aquisição relacionadas a veículos grandes, compraram superarticulados para compor sua frota. 
 Da mesma forma, a aplicação dele na cidade de São Paulo torna-se algo bastante questionável levando em conta o terreno acidentado e ruas na maioria das vezes, estreitas e tortuosas que implicam, em uma operação mais sofrível por parte do veículo, considerando apenas os casos em que a demanda, poderia ser controlada com uma otimização na oferta de lugares com o acréscimo de mais veículos às linhas ou reprogramação de ligações entre pontos de interesse da população.

Rodrigo Lopes – Técnico em Logística.

sábado, 29 de novembro de 2014

Transporte noturno, uma crônica do que poderá ser um sistema exemplar

Já não é de hoje que escutamos que São Paulo, é a cidade que “ nunca para “. Olhando pela ótica do transporte e mobilidade, não diria que ela nunca para e sim que “ quase para “. 

Durante o horário convencional de operação, geralmente entre as 05h da manhã e meia-noite, operam em São Paulo aproximadamente 1.288 linhas, incluindo atendimentos, atendendo em também números aproximados, 2 bilhões e 941 milhões de usuários.

Já durante a madrugada, no período compreendido entre meia-noite e as 4h da manhã, são apenas 98 linhas ( 1.190 a menos do que durante o dia ), muitas delas, para não dizer todas, operando com intervalos superiores a uma hora e sem uma quantidade satisfatória de conexões de umas com as outras.
A população que porventura necessita desse tipo de transporte, se desdobra para conseguir utiliza-lo ou opta por esperar o Metrô abrir as 4h40 da manhã.
Com o crescente movimento de protestos que clamam por um transporte público de melhor qualidade, surgiu-se a ideia de fazer então, visando resolver os problemas do transporte público noturno,  fazer o Metrô, funcionar 24 horas.

Já é sabido, tanto por estudiosos do tema e também pelos populares, que é tecnicamente inviável tal ação, já que em um período curto de apenas 3 horas, a Companhia do Metropolitano dedica para realizar manutenção em seus túneis e vias, além de treinamentos para seu pessoal utilizando-se dessas estruturas.

Dada essa impossibilidade, vista muitas vezes como má vontade e embora não seja, a SPTrans lançou um plano de estruturar toda a rede de transporte noturno por ônibus, visando atender inclusive, o trajeto do Metrô.
Como o sistema será concebido praticamente do zero, o transporte  noturno será estruturado perto do que seria ideal, do ponto de vista técnico, até para as operações diurnas.

Divididos os itinerários e considerando já os existentes que passarão por revisão, serão segundo estimativa, o total de 140 linhas de ônibus e aproximadamente  430 veículos entre ônibus e micro-ônibus para atender a cidade.
Utilizando o conceito de linhas troncos e alimentadoras, as linhas circularão entre a 0h00 e 04h00 da manhã, onde as alimentadoras operarão provavelmente, com operação por parte das cooperativas nos bairros e as troncos, pelas empresas, ligando o centro e as estações de Metrô,  aos terminais.
Segundo informações não-oficiais e preliminares, as primeiras linhas propostas são:

-  Barra-Funda, Itaquera e o Centro ( seguindo a linha 3 do Metrô )
-  Jabaquara, centro e Tucuruvi ( seguindo a linha 1 )
- Centro, Ana Rosa e Vila Prudente ( seguindo parte da linha 2 )
E outras linhas que serão destinadas a atender bairros que possuam grandes atividades noturnas, como Vila Madalena, Paulista ( Jardins ) e Pinheiros.
A estimativa é que a utilização dessas linhas se eleve em relação ao panorama atual. Para contribuir, a SPTrans irá remunerar as empresas operadoras por partida e não por passageiro, para ser também, um atrativo aos operadores.


Rodrigo Lopes – Técnico em Logística.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Guiagem magnética em ônibus

Em 2009, a SPTrans testou no BRT de São Paulo ( Expresso Tiradentes ) um inovador sistema de guiagem magnética em ônibus.

O sistema consiste em uma guiagem magnética para os ônibus, onde o motorista teria controle somente na aceleração dos veículos, proporcionando uma condução exata do veículo no ambiente do corredor exclusivo.

O funcionamento do sistema pode ser conferido no vídeo nesse vídeo.



video

Meses depois, o projeto foi abandonado em meio à extinção do acordo, que havia sido estabelecido com a Fundação Valeparaibana de Ensino de São José dos Campos, para o desenvolvimento da tecnologia.

Atualmente, o corredor opera com veículos convencionais movidos à diesel, padronizados em articulados, e biarticulados.
 Em breve, veículos superarticulados dotados de ar condicionado entrarão em operação no BRT, que já teve projetos de operação por trólebus e veículos híbridos.
 Hoje, liga o centro aos bairros do Sacomã, Vila Prudente e São Mateus, zona sudeste da capital paulista.





quinta-feira, 12 de junho de 2014

Movimentações no mercado de ônibus.

Movimentações no mercado do ônibus demonstram rentabilidade no setor.
A volta da Busscar, a chegada de uma fabricante chinesa e a compra da Scania pela Volkswagen, são assuntos da postagem.


A Busscar, que já foi decretada falida, teve medida suspensa pela justiça de Santa Catarina.
Nessa semana, o advogado da empresa divulgou para a imprensa que há projetos relativos à recuperação, dizendo em suas palavras, que estava trabalhando nos detalhes finais.
A recuperação judicial de empresas são relativas geralmente a volta dela ao mercado, para pagar suas dívidas trabalhistas e inclusive, produzir novamente. Pode ser posto em prática caso seus credores, no caso, funcionários e instituições financeiras, se for aprovado.

Sem maiores detalhes do que será feito, resta aos fãs, empresários e frotistas que sua produção seja retomada. Concorrência no mercado de carrocerias é importante, pois eleva a qualidade dos produtos desenvolvidos pela indústria nacional.


Falando agora da fabricante chinesa BYD, foi anunciado que a empresa pretende construir uma planta fabril no estado de SP, dedicado à fabricação de ônibus e automóveis elétricos.
Forte na China, a Build Your Dreams chega em um mercado consolidado pelas multinacionais Mercedes Bens, Volkswagen, Scania, Volvo e a nacional Agrale, para bater de frente com modelos até então sustentáveis.
Na cidade de São Paulo, existiram 2 ônibus elétricos movidos à bateria em testes.
Desconhecido seu veredicto sobre sua aprovação ou não por parte da gestora, um investimento desse porte, voltado para a sustentabilidade e transporte limpo, são fatos notáveis.
Mas vale salientar que esses veículos, em tese, teriam de ser produzidos para substituir os veículos movidos à combustíveis e não ao trólebus, que já é, um transporte não-poluente.
Dentre os modelos previstos pela BYD, além do automóvel e de ônibus com tamanho convencional, semelhante ao que já foram testados em São Paulo, a ideia é que seja produzido ônibus de 15 metros ( trucados ) e articulados, com 18 metros de comprimento.
Seus ônibus funcionarão somente com a alimentação elétrica proveniente de baterias instaladas no veículo, com uma autonomia aproximada de 100km.

Sobre a VW 
e Scania, a Volkswagen fez sua última oferta pela Scania, no valor de aproximadamente, 7 bilhões de euros, para a aquisição total da montadora.

Entretanto, ainda faltam o veredito relativo a aprovação dos acionistas ( que estava prevista para semana passada ) para oficializar a transação, iniciada desde o ano 2000, quando a VW começou a adquirir ações da empresa sueca.
Não há informações sobre mudanças em suas respectivas linhas de motores, chassi, caminhões e outros segmentos, mas até onde foi apurado, há restrições em futuras " cooperações técnicas " entre as produtoras com a finalidade de proteger os acionistas minoritários e também, o cliente final.




segunda-feira, 9 de junho de 2014

Metroviários decidem suspender greve nessa terça feira.

Amanhã, as operações voltam ao normal. 
Mas haverá assembleia nessa quarta ( 11/06 ) para definir se a greve sera retomada quinta feira ( 12/06 ) ou se é definitivamente, findada.

As reivindicações por parte do sindicato, deixaram de ser em relação aos aumentos de salário e benefícios e passaram a ser relativos a readmissão dos 60 funcionários, 15 deles que foram apreendidos para prestar depoimento, por estarem, segundo informações, praticando atos de vandalismo. 

Em assembleia, apesar de ter sido uma votação dividida, foi definido a suspensão. Mas hoje mesmo, as linhas tiveram um acréscimo na operação, passando a atender mais estações do que normalmente vinham atendendo, sendo elas:

Linha 1, operando entre Jabaquara e Luz
Linha 2, operação completa
Linha 3, entre Marechal Deodoro e Penha
Linha 4, operação terceirizada, não participa do mesmo sindicato.
Linha 5, operação plena.

Finalmente,os deslocamentos voltam ao normal. Mas essa greve, apesar de prejudicar milhões de passageiros, nos faz refletir que o Metrô sim, precisa melhorar. Mas que sem ele, São Paulo não se locomoveria atualmente. Por isso, é importante preservar e usa-lo bem.






quinta-feira, 5 de junho de 2014

Paralisação do Metrô. Como sua operação emergencial é feita e quais medidas estão sendo tomadas.

Hoje, os funcionários da operação da Companhia do Metropolitano de São Paulo entraram em greve.
Determinação judicial exigia a circulação total de trens durante os horários de pico, mas o que ocorreu durante a operação hoje, foi o plano de contingência.

O plano de contingência elaborado pelo Metrô, consiste no treinamento de funcionários de outras classes e cargos da companhia para a operação dos trens, evitando a paralisação do sistema. O Boletim do Transporte foi conferir como essa operação foi feita.

O quadro de funcionários é bem reduzido, mas proporcionam dentro do possível, um ótimo padrão de atendimento.
 Como são poucos que possuem esse tipo de habilitação, a frota e consequentemente, horário e trechos atendidos, são diminuídos para evitar intervalos ainda maiores e algum tumulto em estações mais distantes e com grande demanda.

Os trechos prioritários escolhidos a princípio foram, distribuídos entre as linhas 1, 2 e 3:

*Luz - Ana Rosa ( Posteriormente prolongado até Saúde )
*Clínicas - Ana Rosa ( Prolongado após às 13h até Vila Madalena )
*Santa Cecília - Bresser-Mooca ( Após às 13h, passou a funcionar de Marechal Deodoro )

Com a continuação da greve, funcionários anunciavam na estação Anhagabaú através dos alto-falantes, que a operação parcial praticada, é entre 05h00 e 22h00, agora, aplicando a medida já ao segundo dia de paralisação.
A linha 4, operada pela concessionária ViaQuatro, que é pertencente ao grupo CCR, não aderiu à greve. Já a linha 5, está com operação em toda sua extensão e estações, mas possui também, horário reduzido e intervalo prolongado.

 A categoria pede aumento de 12,2% no salário, além de aumento da porcentagem da PLR e benefícios.
Houve hoje a noite mais uma reunião da categoria, onde a continuação da greve foi aprovada.
A multa para o descumprimento da determinação judicial foi fixada em R$100 mil diários ao sindicato.

A SPTrans, para auxiliar o deslocamento da população em direção ao centro da capital paulista, acionou o plano assistencial para empresas em situação de emergência ( PAESE ) e modificou diversas linhas.
As alterações na zona leste, consistem no prolongamento de linhas que originalmente iam até alguma estação, para o centro ( Praça da Sé ou Parque Dom Pedro ) e reforço de frota na linha 4310, que liga Itaquera ao Term.Parque Dom Pedro II.
Na zona norte, além do prolongamento das linhas até o centro ( Praça do Correio e Estação da Luz ), a linha 175T, que atende em grande maioria, a Linha 1, teve sua frota reforçada.

domingo, 11 de maio de 2014

Cumbica, finalmente completo.


Desde os mais primórdios projetos de implantação, o Aeroporto de Guarulhos já previa a construção de 4 terminais.



Inaugurado dia 11 de Maio de 2014, o terceiro terminal foi finalmente entregue aos passageiros no final da madrugada, recebendo, exatamente às 05h17 da manhã, um voo da Lufthansa, procedente de Frankfurt no voo 506.

 Por enquanto, somente as companhias TAP, Swiss Air e a citada Lufthansa, são as que vão utilizar das novas estruturas. Até o final do ano, outras operadoras de voos internacionais serão agregados ao novo terminal.



Dedicado exclusivamente para voos internacionais, a estrutura conta com uma bela arquitetura, uso inteligente do espaço, ambiente claro e boa sinalização abrigada dentro de 23 mil metros quadrados, Terminal de ônibus, restaurantes, pontos de câmbio e principalmente, espaço para abrigar a demanda proveniente de 26 aeronaves, funcionando também, como um equalizador dos já saturados terminais 1 e 2. Somando ao Terminal 4, a expectativa é para que o complexo aeroportuário receba, picos de aproximadamente 22 milhões de passageiros por ano.

Para futuros projetos, a concessionária do aeroporto ( Invepar ), estuda a possibilidade da construção de mais um terminal satélite e também, de um sistema de transporte interno conectando os 4 terminais do complexo. A ideia mais aceita até agora, é da construção de um monotrilho. Além disso, a CPTM já iniciou a construção de uma linha de trem, que conectará Engenheiro Goulart ( Zona Leste de SP ) ao aeroporto. 

Por hoje é só, boa semana a todos!